Medico das celebridades indica tratamento de pele

Médico das celebridades Eduardo Gomes de Azevedo, Indica os melhores tratamento de pele da atualidade.

Dr. Eduardo Gomes de Azevedo
Dr. Eduardo Gomes de Azevedo

Atualmente os tratamentos de pele são inúmeros e cabem em todos os tipos de peles e de bolsos. O medico Eduardo Gomes de Azevedo é referência no segmento de beleza entre as celebridades, proporcionando constantemente aos seus pacientes tratamentos inovadores que usam tecnologia de ponta.

Mais fina e delicada que o restante do corpo e mais exposta a fatores como sol, vento, água e  produtos de limpeza, a pele das mãos nem sempre recebe a atenção que merece. Em alguns casos, elas até parecem envelhecer mais rápido que o restante do corpo.

Mas a boa notícia é que os tratamentos para esta região do corpo não param de avançar. Existem lasers que praticamente acabam com as manchas de idade e estimulam a produção do colágeno. Luz intensa pulsada, laser fracionado, CO2 estão entre as opções.

Há também preenchedores capazes de “engordar” as mãos mais magras, como o ácido hialurônico. Outra alternativa é tracionar a pele com o Ulthera —  afirma Eduardo Gomes.

 

Eduardo Gomes de Azevedo fala sobre Radiesse

Eduardo Gomes de Azevedo fala sobre Radiesse

Recentemente foi aprovada uma substância chamada Radiesse, composta por hidroxiapatita de cálcio. Ela não só preenche, como ajuda o corpo a produzir colágeno. O tratamento tem duração de dois anos. O Radiesse também é usado para preenchimento facial. A técnica consiste na aplicação de laser fracionado não ablativo, que abre uma “porta” de entrada na pele para aplicação de um booster de colágeno. Desta maneira, ocorre uma absorção até quatro vezes mais intensa dos ativos que estimulam a produção de fibras colágenas e elásticas. A intenção é melhorar a textura da pele, deixando-a hidratada, macia e rejuvenescida. Em média, são indicadas três sessões, com intervalo de 20 dias.

O handlift é uma técnica de preenchimento subcutâneo que corrige as imperfeições e recupera o volume da região, minimizando as rugas e marcas, além de encobrir veias e tendões que se tornam mais proeminentes com o passar dos anos. O tratamento pode ser feito com substâncias prontas, como ácido hilaurônico e hidroxiapatita de cálcio, ou mesmo com a própria gordura corporal, retirada de outras partes do corpo, como joelhos. O procedimento é simples, dura de 30 a 60 minutos e pode ser realizado no próprio consultório.

Com o auxilio de microcânulas, injetamos a substância e depois realizamos uma manipulação local para modelar e distribuir uniformemente. Logo após a aplicação, a paciente é liberada do consultório, sem necessidade de cuidados especiais. O efeito de rejuvenescimento fica natural e dura, em média, um ano e meio. Outras técnicas como aplicação de luz intensa pulsada, radiofrequência ou infravermelho , também podem ser associadas em casos de manchas mais resistentes. Os sinais que denunciam a idade podem também ser prevenidos ao longo da vida, assim como flacidez, ressecamento cutâneo e degeneração do tecido epitelial. Mas é preciso ficar atento ao aspecto das mãos, pois algumas doenças como alterações de tireoide, diabetes, anemias e o uso de medicações, podem ocasionar lesões cutâneas. Em alguns casos, é necessário o tratamento da doença de base para que a causa do problema de pele das mãos seja solucionado ou controlado.

Medico das Celebridades Eduardo Gomes fala sobre lipoaspiração

Medico das Celebridades Eduardo Gomes comenta sobre lipoaspiração

Outro tratamento muito procurado diz o Dr Eduardo Gomes de Azevedo é a lipoaspiração cervical, também conhecida como cirurgia da papada, é uma cirurgia procurada por quem tem o intuito de retirar a gordura localizada no pescoço. Com duração de 40 a 60 minutos, o procedimento é realizado com anestesia local ou sedação.

São realizados três cortes bastantes pequenos (aproximadamente 3mm), dois atrás dos lóbulos das orelhas e um abaixo do queixo. Um pequeno cano (cânula) é colocado na região cuidadosamente para aspirar o excesso de gordura na região do pescoço.

Caso não seja feita com cuidado, a cirurgia que é considerada simples, poderá deixar marcas visíveis. Alguns pacientes possuem a pele mais flácida, tornando necessária uma cirurgia plástica para esticar a pele após a gordura ser removida.

Nesse caso, o médico cirurgião precisará fazer incisões atrás das orelhas para esticar a pele e o músculo do pescoço. Esse procedimento dura em torno de duas horas. O paciente poderá deixar o hospital no dia da cirurgia.

Entretanto, deverá ficar em repouso e fazer drenagens, podendo também utilizar cinta compressiva para acomodar a pele após o procedimento. As atividades normais podem ser retomadas depois de aproximadamente oito dias.

No caso da cirurgia para esticar a pele, o paciente deverá ficar três dias comendo apenas alimentos pastosos e reduzir ao máximo qualquer movimento na região da boca, como conversar, rir e até mesmo espirrar.

Assim como qualquer procedimento médico, a lipoaspiração cervical também possui riscos. O paciente pode ter reações à anestesia, sangramento, dormência na área, danos nos nervos, inchaço e sensação de formigamento.

Dr. Eduardo Gomes fala sobre outra técnica de luz intensa pulsada

Dr. Eduardo Gomes fala sobre outra técnica de luz intensa pulsada

Outra técnica chamada Luz Intensa Pulsada (LIP) é gerada por um aparelho específico que produz calor na pele e atinge diferentes alvos: a melanina – que, em excesso, causa sardas e manchas -, os vasos sanguíneos – no caso, os microvasos da face e colo principalmente – e o colágeno – para tratamento flacidez e rugas.

O tratamento com Luz Intensa Pulsada (LIP) é feito com um aparelho que possui uma lâmpada flash de alta energia, ou seja, emite luz. A Luz Pulsada possibilita o tratamento de várias lesões causadas pelo fotoenvelhecimento, em diversas áreas do corpo como face, dorso das mãos, colo e pescoço.

Trata rugas finas, vasos faciais, rosácea, manchas solares, dano solar crônico, alteração de textura da pele, olheiras, poiquilodermia (manchas, vasos e envelhecimento do colo e pescoço), depilação e pode ser utilizada até mesmo para remoção de tatuagens.

O que permite que a LIP trate diferentes problemas é sua amplitude de comprimento de ondas, que atingem diferentes profundidades da pele. O tratamento com Luz Intensa Pulsada está indicado para pessoas com fototipos I (cútis branca muito sensível), II (cútis branca pouco sensível) e II (cútis morena clara).

Tonalidades mais escuras têm maiores chances de complicações, pois a melanina, em maiores quantidades, pode absorver o feixe luminoso.

A Luz Intensa Pulsada, assim como o Laser, é uma fonte de energia luminosa não ablativa. Ou seja, ambos geram calor na pele sem provocar qualquer alteração da continuidade da pele – um corte. “Mas diferentemente do Laser, a LIP apresenta diversos comprimentos de onda, isto é, todo ou parte do espectro luminoso”, explica o Medico Eduardo Gomes

Com isso, o Laser é mais específico – age exatamente no ponto desejado (na melanina, por exemplo) e a Luz Intensa Pulsada é inespecífica, pois aborda diferentes alterações numa mesma aplicação.

O tratamento pode gerar dor e desconforto, no entanto, são suportáveis. Caso a sensibilidade do paciente seja grande, é possível usar medicação anestésica tópica. Geralmente, para se obter o máximo de eficácia no tratamento de manchas, sardas e vasos sanguíneos aparentes se recomendam quatro sessões em média, mas é comum observarmos os resultados desde a primeira aplicação.

Para o tratamento de rugas e flacidez, é preciso estimular o colágeno, o que demanda mais tempo. Consequentemente os resultados aparecem com mais tempo e podem ser necessária até seis sessões de Luz Intensa Pulsada.

O intervalo entre as sessões pode variar, mas a espera de 21 a 30 dias costuma ser suficiente. Qualquer tratamento dermatológico precisa de fotoproteção para que os resultados sejam mantidos.

Está indicado o uso de protetor solar com fator de proteção mínimo de 30, com reaplicação a cada três horas, além de evitar a exposição solar no período das 10 as 15 horas.

Gestantes, pessoas com vitiligo ou infecções ativas no local a ser tratado devem evitar o tratamento pois podem ocorrer hipo ou hipercromia, isto é, alterações da coloração da pele.

Pessoas em uso de medicações que aumentem a fotossensibilidade, como alguns antibióticos e antiacneicos, também devem evitar o tratamento com Luz Intensa Pulsada. Mas atenção! Não se bronzeie antes do tratamento com Luz Intensa Pulsada. Peles bronzeadas têm maiores chances de sofrer complicações, como hipo ou hipercromia.

Após o tratamento com Luz Intensa deve ser feito o uso de protetor solar de acordo com a recomendação médica. Pode haver a necessidade de usar medicação corticoide caso haja inflamações.

Medico Eduardo comenta sobre Mesolifting

Medico Eduardo comenta sobre o tratamento Mesolifting

Mesolifting é definido como um procedimento de mesoterapia que se concentra em minimizar rugas e melhorar o tom de pele e elasticidade. Pode ajudar ou diminuir rugas e “pele crepe” nas áreas facial e no decote, ajuda a melhorar o tom da pele e textura, e melhora o contorno da pele e sutilmente melhora a flacidez na face e pescoço.

Assim, o mesolifting pode desafiar o processo de envelhecimento. Embora não seja um substituto para um facelift, este tratamento pode dar uma aparência mais mais saudável a sua pele.

A circulação da pele diminui com a idade, resultando em redução de oxigênio e nutrientes, que dificulta a capacidade do corpo para liberar os radicais livres. Isso provoca envelhecimento da pele tornando-a mais opaca, sem viço.

As rugas, como outras condições envolvendo a pele, têm uma etiologia multifatorial. As rugas excessivas da pele podem ser causadas pela desidratação geral, exposição excessiva ao sol, genética, expressões faciais, atrofia muscular, deficiências de ácidos graxos, desequilíbrios hormonais, deficiências nutricionais e muitas outras causas.

Rugas excessivas também podem ser um sinal de envelhecimento avançado ou agressivo, o que enfatiza a necessidade ainda mais de utilizar a mesoterapia, juntamente com terapias regenerativas, reposição hormonal natural, nutriceuticals, uma dieta metabólica apropriada e outras medidas estéticas de meia-idade.

O processo de mesolifting fornece uma combinação de ácido hialurônico, vitaminas altamente concentradas, oligoelementos, coenzimas, aminoácidos e antioxidantes diretamente na pele para nutrir e rejuvenescer, promover a produção de colágeno e elastina e estimular o metabolismo.

Após o tratamento, os pacientes comumente descrevem sua pele como olhar descansado, radiante e firme. A mesoterapia pode ser usada como um suplemento, ou uma alternativa, a muitos regimes anti-envelhecimento, incluindo toxina botulínica, resurfacing a laser, antioxidantes, cremes tópicos e facelifts.

Entre as indicações para o mesolifting, o Dr. Eduardo Gomes de Azevedo destaca: melhoria da pele danificada pelo sol; melhoria da qualidade da pele: elasticidade e turgência da pele; redução de rugas; revitalização da pele cansada / melhoria do afrouxamento da pele; reabastecimento de pele roubada com nutrientes; as vitaminas fornecem uma função de antideficiência; os aminoácidos permitem uma melhor construção proteica; os minerais garantem o equilíbrio iónico do meio; as coenzimas activam reacções bioquímicas; e os ácidos nucleicos estimulam a síntese.

A radiofrequência foi usada pela primeira vez no século XIX pelo físico francês Jacques-Arsène D’Ansorval e vem sendo utilizada ate hoje nas práticas da dermatologia estética.

A radiofrequência tornou-se um padrão de tratamento estético com muitas indicações, devido à sua versatilidade, eficácia e segurança. A técnica age através da geração de calor no tecido embaixo da pele, que induz a produção de novas fibras de colágeno e melhora o aspecto da pele.

Para isso, são emitidas correntes de alta frequência, que contam com uma tensão aproximada de 30.000 a 40.000 Volts e com frequência de 1560 a 200 kilohertz.

 

Medico das Celebridades Eduardo Gomes comenta sobre o tratamento Mesolifting

Inicialmente a pele deve ser higienizada com água e sabonete ou óleo de limpeza. Em seguida será aplicada vaselina na área a ser tratada caso seja parte do corpo ou gel de condução quando a área de tratamento for facial.

Através dos aplicadores posicionados na pele, são realizados disparos de radiofrequência no local tratado. Após se retira o material aplicado e termina a sessão. A técnica não é invasiva e causa efeitos apenas na área de tratamento.

O objetivo de cada sessão é elevar a temperatura da pele e do tecido subcutâneo até 39°C a 42°C e mantê-la por um período de 14 minutos. Após o tratamento é retirado o gel ou a vaselina da pele.

O transdutor (ponteira) deve ser movimentado o tempo todo a fim de distribuir bem o calor por toda a pele. Durante o tratamento é medida a temperatura da pele diversas vezes para garantir que ela chegue a 40-42 graus Celsius e não ultrapasse esse nível de temperatura.

A radiofrequência pode ser realizada em todas as regiões do corpo e face, exceto região da tireoide.

O calor profundo, proporcionado pela radiofrequência, atua na célula de gordura, melhorando seu metabolismo, aumentando a oferta e a difusão de nutrientes, diminuíndo o estoque de enegia (triglicérides) e contribuindo para a redução de seu volume.

A radiofrequência atua na inflamação causada pela celulite no tecido adiposo. Com a melhora da gordura localizada, um dos pilares para a formação da celulite, acontecerá a melhora do aspecto da celulite.

Em adição, em técnicas em que o vácuo está associado o método funciona também como uma drenagem linfática, contribuindo para a redução de toxinas nos tecidos.

O aparelho de radiofrequência aquece o tecido através da corrente elétrica, ocorrendo a produção da temperatura acima do normal, que gera a contração imediata do colágeno e remodelação da fibra de colágeno e elastina já existentes.

Após o tratamento observa-se o estímulo dos fibroblastos para produção de novo colágeno. Dentre as indicações mais comuns para a radiofrequência, estão: melhora da flacidez da pele, redução derugas, redução da celulite, tratamento de cicatriz de acne e estrias.

Porém existem vários tipos de Radiofrequência: na radiofrequência monopolar a corrente elétrica é emitida através de um eletrodo aplicado na área de tratamento e retorna ao gerador através de um eletrodo de dimensões maiores localizado à distância, podendo atingir uma profundidade de até 6 milímetros.

Um exemplo dessa modalidade é o aparelho Spectra da marca Tonederm, e o Thermage. Na radiofrequência bipolar o eletrodo de saída e o de retorno é a própria ponteira, gerando dessa forma uma efeito mais superficial em relação a RF monopolar. Na radiofrequência tripolar os três eletrodos estão na mesma ponteira.

A profundidade da penetração da energia é, aproximadamente, a distância média entre os eletrodos.

Atualmente existem equipamentos de radiofrequência que trazem outras tecnologias associadas para potencializar o efeito da radiofrequência como o vácuo, que maximiza a penetração da energia na área tratada, aumenta a circulação local, estimula a drenagem linfática e contribui na redução do volume da célula de gordura.

São necessárias de três a dez sessões em cada região tratada. O número de sessões dependerá do objetivo a ser alcançado, da alteração apresentada e da resposta individual de cada paciente.

Devem ser respeitadas as frequências de uma sessão semanal para o corpo e uma a cada duas ou três semanas para o rosto. Para manutenção do resultado, devem ser realizadas novas sessões de radiofrequência anualmente.

Hoje em dia, existem inúmeros tipos de peeling – o difícil é escolher qual o mais indicado para a sua pele! O surgimento de várias manchas, espinhas e rugas, com o passar do tempo, pode significar um desconforto para muitas mulheres, e o tratamento pode ser a solução.

Existem vários tipos do procedimento que, dependendo dos ácidos e outras substâncias utilizadas, podem ser superficiais, médios ou profundos.

O nome ‘peeling’ vem do termo inglês, que significa “descascar” – é um procedimento que possui uma série de funções na rotina dermatológica, como: Renovar a pele, melhorar a textura, fechar os poros, tratar hiperpigmentações, melasma, acne, estrias, cicatrizes de acne, envelhecimento, e até campo cancerizável com lesões crônicas causadas pelo sol.

Mas antes de fazer o procedimento, é fundamental realizar uma avaliação dermatológica para esclarecer a indicação ideal para o seu caso – essa análise ajuda a otimizar os resultados e evita complicações durante e após a técnica.

Além disso, este é um tratamento que deve ser executado por um médico dermatologista ou especialista em cirurgia plástica.

Eduardo Gomes de Azevedo explica sobre o tratamento ácido hialurônico

Eduardo Gomes de Azevedo explica sobre o tratamento ácido hialurônico

Desde 1996, no entanto, começou-se a usar o ácido hialurônico animal na pele para tratar as rugas e recuperar o antigo viço.

Hoje, ele pode ser de origem animal (vindo da crista do galo) ou por biotecnologia (através da fermentação bacteriana). Independente da fonte, o ácido hialurônico é submetido a uma série de procedimentos químicos visando à obtenção do produto final, o hialuronato de sódio, com a menor concentração possível de proteínas (quer sejam de origem animal ou bacteriana) ou ainda de endotoxinas bacterianas.

Ao final do processo de purificação é obtido o produto final na forma de gel purificado, que pode ser aplicado diretamente na pele ou fazer parte da composição de cosméticos.

Também neste caso existem diversos tipos de tratamento. Ácido hialurônico injetável: trata-se de um gel à base de glicosaminoglicanas que preenche os déficits de volume no rosto e no corpo em regiões como olheiras, lábios, sulco nasogeniano (bigode chinês), cicatrizes profundas de acne, além de celulites e depressões corporais.

Pode ser usado também para dar sustentação e definir as estruturas faciais, como o método MD Codes.

Ácido hialurônico em creme ou séruns: são também glicosaminoglicanas em veículos tópicos que, ao serem aplicados na pele, hidratam profundamente. Isso porque o ácido hialurônico tem a capacidade de atrair as moléculas de água – daí seu efeito preenchedor, que melhora a textura da pele, assim como o aspecto das rugas e vincos.

“Os cremes à base de ácido hialurônico são excelentes aliados na prevenção do envelhecimento e, quando associados com retinóides, vitamina C e outros renovadores celulares, apresentam resultados excelentes à longo prazo”, afirma o Dr Eduardo Gomes

O ácido hialurônico é indicado principalmente para melhorar o viço da pele, suavizando rugas e outras marcas da idade. Quando usado de forma injetável, ele pode ser usado no contorno de face, lábios (contorno e volume), sulcos naso-labiais, sulco naso-jugal (olheiras), rugas faciais, e para repor volume em face, mãos e algumas regiões corporais.

Além disso, uma outra técnica em que o ácido hialurônico é usado é a volumização do rosto, sendo aplicado na região dos malares, mandíbula e nas laterais do rosto. Isso é indicado principalmente com o passar dos anos, pois em algumas partes do rosto o tecido subcutâneo é perdido com a idade.

Nesse método, ele pode ser aplicado com microcânulas, o que traz mais conforto e segurança para a aplicação, e também é usada uma anestesia local.

O ácido hialurônico pode ser encontrado em forma de cremes tópicos ou injetável. No último caso, a aplicação deve ser feita por um especialista (dermatologista ou cirurgião plástico).

Hoje o ácido hialurônico é uma das substâncias mais usadas em preenchimentos, pois um implante reabsorvível, biocompatível e não há relato de hipersensibilidade. É também um dos pilares do rejuvenescimento por hidratar o local de forma intensa.

Por fim, o ácido hialurônico também pode ser usado para melhorar processos ortopédicos e/ou reumatológicos articulares e na oftalmologia, no chamado humor vítreo, que contribui na forma esférica dos olhos.

Antes de indicar o tratamento, deve-se fazer anamnese e exame clínico do paciente para descartar possíveis contraindicações ao tratamento. Evitar bebidas alcoólicas em doses exageradas na véspera.

O ácido noturno deve ser descontinuado um dia antes e no dia no procedimento. Medicamentos anticoagulantes como Ácido Acetilsalicílico, ginkgo biloba, entre outros, devem ser evitados na semana anterior ao procedimento. O filtro solar deve ser mantido em caráter rigoroso antes e depois do procedimento

A aplicação do ácido hialurônico não deve ser feita em indivíduos com hipersensibilidade conhecida ao composto.

Também é contraindicada em pessoas com problemas com a coagulação. Não deve ser aplicado dentro ou perto de áreas em que haja doença ativa de pele, inflamações ou feridas. Não deve ser injetado em uma área onde um implante permanente tem sido colocado.

Não há contraindicação quanto aos cremes que contém ácido hialurônico em sua composição. Quando falamos na aplicação da substância, não existem estudos indicando se é seguro ou não para gestantes e lactantes.

No primeiro trimestre da gravidez este uso está proibido, mas depois disso não existe uma contraindicação absoluta. Como geralmente se trata estético, o mesmo só pode ser feito após autorização do obstetra responsável.

O uso de cremes com ácido hialurônico em sua composição não traz riscos, se for usado conforme a orientação de cada fabricante. Já a aplicação da substância diretamente na pele pode trazer problemas quando o procedimento é mal feito ou o produto é de qualidade duvidosa. Por isso é importante fazer o procedimento em local confiável.

É comum que algumas reações adversas apareçam após a aplicação, como eritema transitório, edema, dor, prurido, contusões, descoloração ou sensibilidade no local da injeção. Normalmente a resolução é espontânea, dentro de um ou dois dias após a aplicação.

O resultado ao aplicar o ácido hialurônico na pele é o de suavizar as rugas, dando naturalidade à face, além de remodelar o rosto, evidenciando seus ângulos e respeitando os pontos de iluminação da pele. Nesses aspectos, o método é um dos mais eficientes.

Eduardo Gomes fala sobre os benefícios do Botox

Eduardo Gomes fala sobre os benefícios do Botox

A toxina botulínica, também conhecida como “botox”, é originada de uma bactéria chamada clostridium botulinum, que possui propriedades que ajudam a inibir a contração dos músculos e, desta forma, reduzir as linhas de expressão mais incômodas do rosto, como o “bigode chinês” e as “linhas de marionete”.

A substância serve para o relaxamento muscular sobre os músculos estriados, inibindo a liberação de acetilcolina, na junção entre o nervo e o músculo-neuro muscular. Desta forma, a contração ajuda a reduzir e desaparecer as rugas de expressão e a evitar os vincos na pele, prevenindo as chamadas rugas estáticas – aquelas que ficam evidentes mesmo sem nenhum movimento do rosto.

Existem vários estudos que comprovam que a aplicação precoce da toxina ajuda a evitar a formação de rugas na pele e a formação dos sinais de expressão mais profundos.

Não existe uma idade correta ou um limite para injetar a substância, mas a indicação – que deve ser estudada de caso a caso – pode ser feita a partir dos 25 ou 30 anos (idade em que as primeiras rugas começam a surgir no rosto).

Lembrando que o procedimento tem duração de até 6 meses e precisa de manutenção regular para manter o resultado.

Quando a aplicação é feita corretamente com um dermatologista, não proporciona riscos à saúde ou à vida do paciente. “Porém, quando acontece algum erro técnico, os efeitos mais comuns são pequenos sangramentos no local em que a toxina foi injetada, dor de cabeça, hematomas e congestão nasal são os mais comuns e reversíveis”, esclareceu a médica.

A primeira coisa que deve ser feita é procurar um dermatologista para avaliação e descobrir se você está apto para receber o tratamento.

Os demais cuidados devem ser observados pelo próprio profissional, como: conhecer bem a anatomia do local de aplicação a fim de não injetar a substância em vasos sanguíneos, usar a quantidade adequada para não haver riscos de absorção, e ter a responsabilidade e conhecimento de atender qualquer complicação que o paciente desenvolver com o procedimento.

 

 

 

 

 

 

 

 

[Enviar "Send"]

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.